Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Henrique Meirelles, ministro da Fazenda.

Crédito da imagem: Estadão

O cogitado ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, fez declaração num evento em São Paulo, promovido pelo Instituto Millenium, que dá noção do que pretende, se confirmado no cargo de ministro pela presidente Dilma. Henrique Meirelles é candidato ao cargo indicado pelo Lula da Silva, seu antigo chefe. 

Henrique Meirelles foi presidente do Banco Central nos dois mandatos Lula. Antes de assumir o cargo no Banco Central, Meirelles foi dono e presidente do Banco de Boston. O Banco Itaú assumiu o Banco de Boston, do Meirelles. em troca de participação acionária no Banco Itaú. Resumindo, ele é acionista minoritário do grupo Banco Itaú.

Atualmente, Henrique Meirelles é homem forte dentro no grupo JBS/Friboi. Tem em comum, o Meirelles com o grupo JBS dos Batista, a origem de ambos no estado de Goiás. Henrique Meirelles entrou na política elegendo-se deputado federal em 2002 pelo PSDB/GO. Os Batista iniciaram atividade comercial no ramo de frigorífico, no mesmo estado de Goiás. O grupo JBS/Friboi é dono, também, do Banco Original. 

Feito breve apresentação do banqueiro Henrique Meirelles, vamos ao que pensa o provável futuro ministro da Fazenda do governo Dilma. 

Disse ele no evento: "É fundamental uma trajetória consistente da dívida pública. A trajetória da dívida tem de ser revertida e estabelecermos como prioridade número um o ajuste fiscal e o equacionamento dessa questão". Continuou: "Algumas delas são de difícil equacionamento, inclusive político. Se fosse fácil, teríamos resolvido há muito tempo. Isto acontece com o aumento constante das despesas públicas por um período muito longo". Meirelles já fala como se ministro fosse. 

Meirelles falou em limitação de despesas públicas, no entanto, admitiu que, no curto prazo, será necessário um aumento de impostos, em função de uma questão emergencial de reverter a trajetória da dívida pública. Quanto a recriação da CPMF, o futuro ministro desconversou. No entanto, deixou claro que não é refratário à ideia, se assim a situação exigir. O futuro ministro vai na mesma linha do atual.

Disse o futuro ministro que, para o País crescer de forma sustentável, será necessário uma reforma tributária, com a racionalização da estrutura, mais objetiva e com menos dispêndios para empresas pagarem seus impostos. Vamos apenas lembrar que o futuro ministro da Fazenda Henrique Meirelles, fez parte dos dois governos Lula da Silva. A estrutura que hoje ele critica foi formulado por ele próprio ao longo dos 8 anos do governo Lula da Silva. Um pouco estranho o Meirelles criticar a gestão PT.

Vamos lembrar que na gestão do Henrique Meirelles no comando do Banco Central, o Brasil promoveu política equivocada de valorização do real, para proporcionar a "sensação de bem estar" e a "sensação do poder de compra" para a população. Foi na gestão do Henrique Meirelles com a valorização do real que sucateou o parque industrial brasileiro, que passou a participação no PIB de 26% para pouco mais de 12%. Foi na gestão do Henrique Meirelles na presidência do Banco Central é que a dívida pública brasileira saltou ao patamar insustentável que hoje ele critica. 

Na minha opinião, tirar o bancário Joaquim Levy do Bradesco e colocar o banqueiro Henrique Meirelles do Itaú no ministério da Fazenda, nada muda a trajetória da economia do País. Com o Henrique Meirelles na Fazenda, o setor bancário continuará lucrando como nunca, apesar do quadro recessivo. 

Colocar Meirelles no lugar do Levy é como trocar de guarda do galinheiro a raposa por um lobo. O povo continuará pagando a conta, como sempre. O povo que se lasquem, pensam eles. Os deles estão garantidos!

Ossami Sakamori














15 comentários:

  1. 80% da população do chão não passa , solução é fora PT e sua corja e que tribute as grandes fortunas .Remaneje o aparelho do governo cargos salários e auxílio paletó .

    ResponderExcluir
  2. meirelles, dillma, lulla, tudo farinha do mesmo saco, incompetentes até á loucura.
    Só temos merda nos destinos da nossa Nação a começar pelas FFAA comunistas que só obedecem ao PC do B e terminando nestes bastardos.

    ResponderExcluir
  3. "Lula baixa diktat: "Ou Dilma aceita Super-Meirelles ou cairá fora do governo"


    O PT está mesmo em polvorosa com a possibilidade de que Lula emplaque o ex-banqueiro Henrique Meirelles na posição mais forte do governo Dilma, substituindo Joaquim Levy.

    Vem aí o Super-Meirelles.

    Ele não esconde mais o jogo.

    O ex-banqueiro quer plenos poderes para nomear novos ministro do Planejamento, presidente do Banco Central e chefe da Receita Federal.

    Dilma, que sempre detestou Meirelles, já se conformou.

    Se ela resistir, Lula irá derrubá-la. "

    http://polibiobraga.blogspot.com.br/2015/11/lula-baixa-diktat-ou-dilma-aceita-super.html

    ResponderExcluir
  4. O PT PENSOU QUE O BRASIL FOSSE ADMINISTRÁVEL COMO UM GRANDE SINDICATO.

    SÓ TEM INCOMPETENTE. ACHO QUE O TIRIRICA SERIA MENOS CÔMICO QUE O POSTE

    ELES SIFU E NÓIS JUNTO. E O MOLUSCO ALCOÓLICO DANDO A DIREÇÃO?
    UM BEBO DE COMANDANTE DA AERONAVE?

    ResponderExcluir
  5. Para os aposentados não há aumento algum.
    Para a família das vítimas, não há dinheiro algum.
    Mas para as famílias dos assassinos e criminosos, dinheiro não falta.
    Mas o Brasil é um país onde una são filhos e os outros (a maioria) são enteados?
    Que se passa na cabeça dessa louca dilma?

    "Dilma concede reajuste de 11% para auxílio-reclusão

    A presidente Dilma Roussef resolveu reajustar em 11% os chamados auxílios-reclusão, valores pagos aos familiares de presos brasileiros.

    O benefício, que era de R$ 915,00, irá para R$ 1.157,00.

    Segundo o G1, de O Globo, de 23.06.2015, o Brasil tinha cerca de 615 mil presos; de acordo com o Boletim Estatístico da Previdência Social – Vol 20 – nº 8, referente a agosto de 2015, 37.038 famílias receberam o auxílio-reclusão, num valor médio de R$ 825,4 pasra cada uma. "

    http://polibiobraga.blogspot.com.br/2015/11/dilma-concede-reajuste-de-11-para.html

    ResponderExcluir
  6. Se não houver uma revolução sangrenta esses putos não largam o osso.

    ResponderExcluir
  7. Troca seis por meia dúzia. Em primeiro o aumento de tributos, em segundo, o ajuste fiscal, comumente chamado de corte na própria carne. O primeiro é implementado e o segundo, continua como retórica para boi dormir. Reinventou a roda...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma quadrilha organizada e orquestrada com único objetivo de f... o povo.
      Só revolução,como disse o blogueiro das 20:38 poderá começar a mudar o panorama.

      Excluir
  8. Mais uma prova contundente de que o bandido-chefe nunca deixou o poder e faz o que quer com sua nova(antiga) propriedade chamada Brasil,cujo povo merece o que tem.

    ResponderExcluir
  9. Levi funcionário do bradesco incentiva juros altos (os banco adoram). Meireles funcionário da friboi, vai valorizar o dólar (Friboi adora). Precisa dizer mais alguma coisa?

    ResponderExcluir
  10. Satanás mandou seu filho predileto para f...o povo brasileiro que é leniente e pasmacento,merecendo isso tudo.

    ResponderExcluir
  11. Por que não se denuncia essa quadrilha a Corte Internacional de Haia , já que tudo no Brasil é corrompido pelos comunistas que usam falsamente a palavra democracia para arrebentar o povo?

    ResponderExcluir

  12. Antes os bancos concorriam no mercado financeiro, hoje concorrem dentro do governo.

    É o ringue dos donos do dinheiro, dentro dos palácios de Brasília.

    E tudo isso sob os auspícios de um governo "dito dos trabalhadores".

    Aceitam tudo isso pensando em continuar, dizendo defender os pobres sem sê-lo.

    O que importa é a roubalheira para financiar futuras eleições.

    Mais nada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior é que ficamos assistindo aos comunistas acabarem com o país e ficamos só falando.Precisamos importar homens-bomba para acabar com o ninho de corvos alojados em Brasília,já que não temos brasileiros comprometidos com o futuro de seu país.

      Excluir
  13. Ah,não...
    Esse babão,de novo?
    Vamos ter que engolir a troca de 6 por 4...
    Que falta de criatividade e interesse pelo Brasil.
    Salve-nos, Mr.Obama.
    Volte logo,Jesus...

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.