Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Quem ganha com Selic a 13,25%


Banco Central do Brasil aumentou a taxa básica de juros, Selic, em 13,25% ao ano, decidido na reunião do COPOM - Comitê de Política Monetária. O mercado já esperava o aumento de 0,5% na taxa Selic, justificado grande parte na tentativa do governo frear a alta da inflação. 

A alta da taxa básica de juros Selic do Banco Central, em tese equivocada, é para frear a inflação que já rompeu o teto da meta que é de 6,5%. O mercado já espera inflação oficial IPCA em 8,13% para o fechamento do mês de abril. A minha previsão é que o IPCA feche o ano próximo de 2 dígitos, conforme projeção feito por mim em 20 de janeiro passado. 

A grande verdade é que a taxa básica de juros Selic, não atende o requisito de segurar a inflação. Isto tudo é dito pelo governo federal e pelos articulistas "pró-governo" como se fosse dogma. Especificamente no caso do Brasil, a taxa básica de juros atende outro requisito que é de atrair capital estrangeiro para aplicação em títulos da dívida do Tesouro.

Descontado a inflação oficial, a taxa de juros reais do Brasil será de 5%, a segunda maior entre os 40 países maior expressão do mundo, ficando atrás apenas da Turquia. Os agiotas internacionais exigem que o Brasil pague a taxa de juros reais expressivos sob pena de levarem o dinheiro para países onde há mais seguranças nos investimentos. Os agiotas internacionais tem aplicado em títulos do Tesouro, segundo Banco Central, cerca de R$ 460 bilhões.

No Brasil, os maiores ganhadores são os bancos que aplicam o dinheiro dos correntistas em títulos do governo com rentabilidade mínima de 13,25% ao ano. O Bradesco do Levy deve estar rindo à toa! Nunca ganhou tanto dinheiro como agora. 


O maior perdedor sempre o povão. A conta de luz subiu média de 40%, só neste ano, fora a tarifa das bandeiras. Os juros bancários subiram em níveis mais altas dos últimos anos. Até a aposta da mega sena vai subir 40% à partir do próximo mês. A inflação do bolso para o povo, não são os 8,13% do governo, mas na minha conta vai a 30% nos últimos 12 meses. 

O efeito do equívoco da política econômica do primeiro mandato do governo Dilma, combatida arduamente por este blog desde 2012, é muito perversa. 

Favorece os banqueiros com a alta da taxa Selic. Favorece os empresários do programa Bolsa Empresário que tomaram financiamentos no BNDES à taxa anual fixa de 3,5% ao ano. E desculpe, a expressão, mas "fode" o povo com inflação de 30% no bolso e taxa de juros de empréstimos bancários que ultrapassam em muito os 150% ao ano.

Depois de amanhã é dia do Trabalhador. A presidente Dilma deve estar comemorando porque enriquece o formuladores da política econômica do seu governo Bradesco.

Ossami Sakamori




7 comentários:

  1. A taxa SELIC é o percentual que o tesouro paga pastas os quite possuem títulos do tesouro
    O tesouro no caso é o Brasil que indiretamente é a população
    Estamos pagando juros altíssimos para quem tem dinheiro aplicado e deixando de aplicar em educação saúde infraestrutura,etc.

    ResponderExcluir
  2. BOM DIA #SAKAMORI >>>pois é amigo >>>petalhavam a elite e os bancos <<<
    A prioridade do BRASILEIRO é extirpar esse mal.

    ResponderExcluir
  3. BOM DIA #SAKAMORI >>>pois é amigo >>>petalhavam a elite e os bancos <<<
    A prioridade do BRASILEIRO é extirpar esse mal.

    ResponderExcluir
  4. BOM DIA #SAKAMORI >>>pois é amigo >>>petalhavam a elite e os bancos <<<
    A prioridade do BRASILEIRO é extirpar esse mal.

    ResponderExcluir
  5. Será que o vermelho do PT foi pro Bradesco, ou o vermelho do Bradesco foi pro PT?

    ResponderExcluir
  6. Com tantas manobras que nos chegam ao conhecimento e,por muitas outras(as maiores e piores),que nunca conheceremos,só podemos dizer:¨God,help us¨.

    ResponderExcluir
  7. O Brasil está no Vermelho! Coisa do PT...

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.