Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

terça-feira, 28 de abril de 2015

A queda por Mônica Torres

Por Mônica Torres











Tenho lido diariamente as notícias, das mais diversas fontes, e através dos mais diversos assuntos tenho garimpado e feito meu próprio filtro do que é importante para determinar a queda desse governo infame que está aí. 

Ao longo dos últimos 12 meses observei muito o comportamento da economia (grosseiramente também dá pra fazer uma ideia, já que palavras como superávit, swap, ajustes, reserva de câmbio e etc, não estão na minha lista de uso diário).

Cheguei à conclusão simples de que “qualquer que seja” o meio usado para tirar do poder a bandidagem, vai passar pela “quebra da economia”. Percebi isso olhando um pouco para trás, pela simples e direta observação do comportamento do povo brasileiro. Filtrando e analisando os acontecimentos.

Há quase um ano (foi em 17,18 e 19 de junho/2014), as massas saíam às ruas para protestar por um aumento de R$ 0,20 nas tarifas de transporte, sob a repressão estatal promovida em forma de vandalismo para barrar-lhes o intuito.  Eles protestaram pelo que mais lhe doía nos bolsos 
naquele instante. Mais de 100 mil pessoas protestaram só em São Paulo.

Naquele então a inflação (em medida oficial), já encostava o teto da meta (de 6% ao ano), sem contar aquela inflação real que encontramos nas gôndolas dos supermercados, que já era em volta de 30%, informação em artigo anterior deste mesmo blog .

Ora..! segundo dados oficiais do governo, o Bolsa Família atende mais de 13 milhões de famílias, o Brasil Carinhoso atende 8,1 milhões de crianças, o Minha Casa Minha Vida, mais de 240 mil famílias, e ainda tem ProUni, Bolsa Pesca, Auxílio Reclusão... e tantas “benesses” proporcionadas pelo governo (?). Pois bem, isso está começando a cair vertiginosamente com a escalada da inflação, o aumento do desemprego e a pressão nos bolsos do brasileiro. 

Em linhas gerais, temos um cidadão comum tendo que pagar 60% a mais só de valor de conta de energia. No acumulado dos últimos 12 meses, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) chegou a 8,13%, maior alta em 11 anos. Eis aí o ponto em questão: essa pressão é o que impulsionará a coragem dos brasileiros de se manifestarem. Só a dor da falta, da necessidade, é que os levará às ruas. Os meios de tirá-los de lá?

É uma equação simples: A população que não se manifestou ainda, é basicamente uma maioria de beneficiários de um desses programas ou alguma bolsa-qualquer-coisa (que não pretende perder porque assumiram como direito), sem a mínima informação por instrução correta, e de alguma maneira em uma “pseudo melhor condição” do que a anterior ao recebimento. Funciona assim.. “quem nada tem, fica satisfeito com 1 grão” e na hora que perderem esse grão, arregaçarão as mangas. Imagine esses milhões de pessoas na rua, protestando pelo que perderam?!?

Por isso a quebra da economia é crucial, aliada e determinante do sucesso do povo brasileiro na  investida contra o regime infame desse governo corrupto. Desafortunadamente, é preciso que as grandes massas sofram, para se formar um corpo com volume nas manifestações, capaz de contagiar a todos.

O outro contingente de manifestantes virá naturalmente, em solidariedade, porque em sua vaidade, não suporta ficar para trás. É aquele grupo de pessoas que está alheio, porque ainda tem dinheiro pra ir ao futebol ou gastar no salão de beleza, mas não tarda e estarão nas ruas, pelo mesmo. O menor grupo, são os bravos resistentes, que de uma maneira ou outra, anteviram a desgraça desse governo, se informaram, são instruídos ou sensatos em suas visões. 

Resistimos porque somos coadjuvantes. Levantamos a bandeira porque somos afinal um povo sofrendo diariamente os ataques do inimigo instalado no território nacional. Mas um fato é claro: Tudo passa pela quebra da economia. 

Mônica Torres













13 comentários:

  1. Oi Mônica, concordo com você.
    As pessoas irão perder aquilo que achavam que era delas por direito, que as bolsas foram conquistadas porque elas tinham direito, que mereciam, sei lá...
    No "day after" irão perceber que acabou, que não vai ter mais.
    A população ainda não se deu conta da tragédia que o PT causou na economia, sem falar nos princípios ético e morais, e que o abismo está se aproximando rapidamente. Não tem como escapar, levaremos uns 20 anos para consertar o estrago. Os sinais já estão ficando visíveis. O desemprego tenderá a aumentar e as vendas a cair. O cenário externo ficará hostil em breve. A consequência direta será o aumento da criminalidade. Quando os saques aos supermercados começarem a acontecer é porque a população já estará entrando em pânico. A polícia não tem efetivo para conter a turba.
    Nosso País passará por uma "interessante" experiência social. Foi dado de graça ao povo, e agora será retirado. O que será que vai acontecer? Hoje não temos ninguém com capacidade de liderança para direcionar nosso barco para águas seguras, nos afastando do abismo. Em fim, trazer esperança.
    Infelizmente, nossos filhos e netos paragão a conta. Eles herdarão um País com futuro comprometido.
    Torço para estar errado, mas acho que estamos caminhando para uma convulsão social de consequências imprevisíveis.
    Um abraço
    Mauro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grata, Mauro, isso é prativamente um respaldo ao meu artigo. Porém acho que líderes sempre aparecerão. Precisamos dar um passo de cada vez.

      Excluir
  2. Se acontecer o que a Mônica prevê, acontecerá uma guerra civil, pois o PT, Lula e a Dilma não demonstram nem constrangimento pelas roubalheiras; muito menos intenção de sair do governo. Assim que o povão sair às ruas o PT soltará seus cães amestrados(Mst) e vai querer aproveitar o tumulto para mudar a Constituição Federal à favor desse partido corrupto(pt). A saída é a oposição apresentar o pedido de impeachment da Dilma, o Congresso aprovar e por último cassarem o registro do PT.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos precisar de muita pressão porque há muito mais que um partido pra erradicar.

      Excluir
    2. "Lula e a Dilma não demonstram nem constrangimento pelas roubalheiras; muito menos intenção de sair do governo."

      Totalmente de acordo.

      Excluir
  3. Mônica, parabéns por sua análise! Você demonstrou com muita propriedade os problemas sociais do #Brasil. Precisamos juntos combater o maior mal do País >>#corrupção. Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Oliveira. Sua presença é sempre bem vinda.

      Excluir
  4. Por tudo,contudo e,apesar de tudo,não há fórmula mágica:Se o povo quiser tomar de volta seu país terá que tomá-lo,pela força,numa convulsão social armada,com confronto e mortes.Quiçá alguma coalisão internacional nos ajude pois,quem poderia estar do lado do povo,estará contra êle (o tão decantado glorioso(?) exército de Caxias) .

    ResponderExcluir
  5. Caro anõnimo, não são palavras de desânimo e críticas que moverão nossas FFAA. Tudo acontecerá a seu tempo. Façamos nossa parte sem descanso e eles farão a deles. Esteja certo!

    ResponderExcluir
  6. Concodo totalmente consigo quando escreve:

    "Tudo passa pela quebra da economia."

    ResponderExcluir
  7. Quando deixarem os aeroportos, não puderem mais comprar a linha branca, o carro barato, a viagem de férias, só aí verão que a coisa foi para o brejo.
    Até lá adorarão anta e nove dedos.

    ResponderExcluir
  8. Quando deixarem os aeroportos, não puderem mais comprar a linha branca, o carro barato, a viagem de férias, só aí verão que a coisa foi para o brejo.
    Até lá adorarão anta e nove dedos.

    ResponderExcluir
  9. Quando deixarem os aeroportos, não puderem mais comprar a linha branca, o carro barato, a viagem de férias, só aí verão que a coisa foi para o brejo.
    Até lá adorarão anta e nove dedos.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.