Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 5 de agosto de 2018

O tempo de televisão de cada candidato à Presidência.



O tempo para propaganda eleitoral será definido pelo Tribunal Superior Eleitoral após o registro de todas as chapas, previsto para o dia 15 deste mês.  A propaganda eleitoral via televisão inicia no dia 31 de agosto e termina no dia 4 de outubro.  Às terças-feiras, quintas-feiras e sábados, os candidatos a presidente terão direito a dois blocos fixos de 12 minutos e 30 segundos cada um, à tarde e à noite.

A confirmar as candidaturas expostas, o maior tempo de televisão deverá caber ao candidato Geraldo Alckmin com cerca de 44% de todo o espaço de propaganda, correspondente a cerca de 5 minutos e 32 segundos cada bloco.  O candidato do PT, com Lula ou outro nome, e MDB com Meirelles, devem ter respectivamente 17% e 15% do horário gratuito.  O candidato Jair Bolsonaro deverá ter cerca de 7 segundos em cada bloco.  As regras do rateio da utilização do tempo de televisão foi estabelecido no dia 6 de outubro de 2017, através de legislação, específica definida pelo Congresso Nacional. 

O que os marqueteiros de cada candidato consideram como sendo o "filé mignon", está no formato de "spots" ao longo da programação de cada emissora no horário de 5 h de manhã à meia noite.  Os "spots" serão veiculados, diariamente, no período de 31 de agosto a 4 de outubro.  Segundo estimativa, o candidato Geraldo Alckmin deverá ter 12 inserções de 30 segundos a cada dia em cada emissora de televisão.  O candidato do PT e do PMDB deverá ter 4 inserções a cada dia, segundo estimativa.  Os candidatos nanicos, em tempo de televisão, deverá ter uma inserção em cada alguns dias, proporcionais ao tempo que tem direito. 

Ossami Sakamori
@SakaSakamori

Um comentário:

  1. O tempo do candidato Jair Bolsonaro deverá, talvez, ser suficiente para ele dizer:
    - Eleitor, corra, estou ao vivo no Facebook. Tchau...

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.