Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 4 de agosto de 2018

Brasil é de todos nós, inclusive dos olhos puxados!

Crédito de imagem: Estadão

Apesar de adiantado da hora, assisti ontem programa entrevista do presidenciável Jair Bolsonaro, no canal da TV paga Globo News.  Com franqueza, digo que estive  sem paciência para ouvir as propostas dos presidenciáveis.  Na quinta-feira, assisti parte da entrevista do presidenciável Geraldo Alckmin, também. Considero que os dois tem chance de chegar no segundo turno da eleição presidencial deste ano, por isso o meu sacrifício. 

Não vou entrar no mérito das propostas de cada um deles. Certamente, não será minha opinião é que vai mudar a tendência do eleitorado brasileiro.  Graças a democracia reconquistada à duras penas há pouco mais de 30 anos, as forças políticas de esquerda à direita poderão apresentar suas propostas e colocar os nomes para à escolha dos leitores, sejam eles de ideologia esquerda ou direita, pertencentes ou não de determinados "currais eleitorais".  

Todo o processo eleitoral, embora desgastante para os candidatos e para os próprios eleitores, faz parte do Estado democrático de direito, a democracia.  

Ontem, fiquei pasmo e indignado com o tratamento que o candidato Jair Bolsonaro deu ao povo chinês, da China comunista. Assim como aceitei o elogio rasgado ao presidente dos Estados Unidos Donald Trump, apesar de divergência que tenho sobre a política protecionista do presidente americano.  Afinal, o problema e solução da política econômica e ambientalista do Trump diz respeito apenas ao eleitor e ao povo americano. 

Reprovo a maneira como o candiato se referiu ao povo chinês e à República Popular da China.  O candidato Jair Bolsonaro parece ignorar que a China comunista é, no momento, maior parceiro comercial do Brasil, mais do que os próprios Estados Unidos.  A China comunista comandado pelo Xi Jinping é comprador, disparado, dos commodities brasileiros.  Sem a parceria comercial importante como a da China, o Brasil não teria desenvolvido tanto na exploração de minérios e nos agronegócios.  Os chineses, "olhos puxados, tem contribuído com criação de novos empregos no Brasil.  No momento, os chineses, "olhos puxados" são os melhores parceiro do País.  

O candidato Jair Bolsonaro, disse textualmente que não agrada a relação comercial com os "olhos puxados" da China comunista.  Desde minha infância ouço anedotas sobre os "olhos puxados", dos descendentes de orientais, que também faço parte.  Após mais de 100 anos da imigração japonesa no Brasil e uma relação comercial próspero com o povo chinês, seja ele comunista ou não, o Brasil mais ganhou que perdeu.  A maneira jocosa que o presidenciável Bolsorano se os referiu é de no mínimo "intolerante" em relação aos orientais em geral que contribuem com o desenvolvimento do País. 

Os descendentes de orientais são, de maneira geral, conformados em aceitar, sem contestar, um certo desprezo por uma determinada classe social ou etnias. O candidato Jair Bolsonaro foi muito infeliz nas afirmações. O patente de capitão de Exército, não tem poder acima do cidadão comum.  As bravatas comigo não pega!  E, estou saindo em defesa de todos "olhos puxados" do Brasil, achincalhados pelas determinadas "castas" que se acham superiores. 

Brasil é de todos nós, inclusive dos "olhos puxados". 

Ossami Sakamori



7 comentários:

  1. Sempre Mais do MESMO4 de agosto de 2018 09:00

    Então o cidadão não faz qualquer restrição moral em seus acordos, desde que preveja vantagem para si.

    Pelo que diz o autor, e um assassino lhe oferece um bom negócio, por exemplo matar a familia do seu vizinho e vende-lhe a casa por, digamos, 20% do valor, o autor de olhos puxados vai considerar que lhe sendo vantajoso não há como recusar.

    Ou seja, não importa a miséia e a dor dos chineses que trabalham como escravos nas parcerias empresariais do governo chinês com empresários do mundo.
    O blogueiro defende apenas leis trabalhistas, carga horária e etc. como obrigações empresariais APENAS ONDE ESTAS LHE TOCAM.

    Se grande parte dos chineses trabalham em condições insalubres, com baixa remuneração e sem qualquer garantia contratual, nada disso importa se for vantajoso para si ou para seu país.

    Porém, tal nem mesmo é vantajoso.
    Vantajoso é comprar dando apenas dinheiro em troca. Sim isso é bom para o governo que obtem dólares, mas emprego que exporta o prioduto não pode beneficiar o trabalhador.
    AS TROCAS BENEFICIAM, NÃO AS EXPORTAÇÕES.

    Exportar sem importar é ser fornecedor sem ser consumidor. Benefício é o que consumimos. Não o que produzimos para outros.

    Enfim, canalhas serão sempre canalhas e se orgulham do lixo que são.

    ResponderExcluir
  2. Amigo Saka, Penso que não entendestes bem o Jair. Ele não "desprezou" o povo chinês, antes pelo contrário, ele quer a parceria da China, só NÃO deseja que eles COMPREM o Brasil (terras). Entendeu meu caro? Você está parecendo a Mirian Leitoa que só queria atacá-lo! Bolsonaro que parcerias com o Japão, Israel e Estados Unidos. Países que têm muita tecnologia. Achei que ele deu um "show" nos infames globalistas. Cada vez me convenço mais que ele é o melhor candidato para o Brasil (disparado). Só não enxerga quem não quer. Alckmin é a continuação da política podre que aí está. Mamma Mia!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente sr Ari, sempre respeitando o sr sakamori, e pedindo a ele que compreenda que Bolsonaro é nossa única opção, se demos chance ao lula porque não a ele? O príncipe já é vice!!

      Excluir
  3. Essa será a mais nova bandeira do PSDB do Aécio Neves. O Capitão é Xenófobo contra os "olhos puxados".

    Misericórdia !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi mais ou menos assim que ele falou para os inquisidores: quero que a China continue comprando do Brasil, mas não comprando o Brasil.

      Excluir
  4. Amigo Saka:
    gostei de duas coisas: a informação de que um azulejista ganha 120 dólares por hora, nos EEUU. Falta ver se procede.
    2. Israel não tem nada mas, graças a tecnologia e inventividade, mais ou menos "que nem que" Japão, eles tem tudo, resolvem seus problemas. Por qual motivo o Brasil que tem tudo está sempre patinando, embaraçado, num lamaçal ?
    É o meu comentário. Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Saka,ninguem gosta de ver seu País perdido, mas a grande culpa é de quem o vende e nem de quem o compra. No momento só sinto vc ñ estar vendo nada de bom em um candidato, está parecendo a Globo, ñ analisa com parcimônia . Se vc pensar mesmo na incógnita que é o Brasil, ñ temos nenhum candidato pronto para ELE. Mas estou observando as equipes que estão sendo formadas. Nunca pensei em ler julgamentos raivosos seus sem nenhum senso de justiça. Ñ gosto que se menospreze ninguém, e olhos rasgados ñ é maneira de falar sobre os Orientais, é pejorativo e vc como um grande Oriental defenda seu povo com o que desperta inveja no mundo inteiro e vc tem de sobra, EDUCAÇÃO E INTELIGÊNCIA . Sou sua seguidora e admiradora, mas ñ sigo idéias de pré julgamento. Gosto de análises e entre todos os candidatos o único que me apresentou até agora uma política Liberal foi esse senhor com o seu ministro da fazenda. Mas continuo sendo grande simpatizante do Amoedo. Procuro no novo uma chance do Brasil sair do vermelho. Ñ adianta achar só defeitos, precisamos de EQUILÍBRIO.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.