Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 21 de abril de 2018

Mostre a cara, Joaquim Barbosa!

Crédito da imagem: Infomoney

Já apresentei neste blog quase todos pretensos candidatos à presidência da República na eleição deste ano. Joaquim Barbosa é um dos últimos a se filiar num partido político para se habilitar em concorrer nas eleições de 2018. A grande imprensa noticia a filiação do Joaquim Barbosa ao Partido Socialista Brasileira, o PSB. No entanto, nem o ex-ministro do STF e nem a direção do partido confirma a candidatura do Joaquim Barbosa à presidência da República. Pelo que sabemos, há um certo desdém sobre a pretensão do ex-ministro pela própria direção do PSB. Isto tudo vamos conferir no decorrer dos próximos dias. 

Pouco se sabe sobre a vida do Joaquim Barbosa, a não ser pela passagem no Supremo Tribunal Federal onde se notabilizou pelo processo conhecido como "mensalão". Joaquim Barbosa foi o relator do processo que investigou um grande esquema de corrupção envolvendo as altas figuras da política brasileira, sobretudo os dirigentes do PT.  Digamos que o "mensalão" é o que inspirou a abertura e prosseguimento do processo que conhecemos como "Lava Jato".  Se não tivesse existido o "mensalão", talvez o "Lava Jato" não tivesse tomado a dimensão que tomou.

Joaquim Barbosa, como nós conhecemos, sabemos que é de origem humilde, negro, nascido em Paracatu, estado de Minas Gerais, 64 anos, formado em direito pela Universidade de Brasília em 1979. Foi membro do Ministério Público de 1984 a 2003. Ingressou no STF em 2003 até 2014 e foi presidente da Corte Suprema de 2012 a 2014. Joaquim Barbosa foi também professor da PUC/RJ e da UERJ e atualmente milita como advogado.

Joaquim Barbosa caracteriza pela pouca fala. O ex-ministro do STF tem temperamento explosivo. Ficou na memória de quem assistiu sessões do STF pela TV, as trocas de farpas entre ele e o ministro Gilmar Mendes. Não temos conhecimento da sua tendência ideológica, que presume ser de esquerda, nem tão pouco o seu pensamento sobre a macroeconomia. Só sabemos, por enquanto, que  ele é contra a corrupção. Fazendo ilação baseado em partido que ele se filiou, ele faz parte do espectro da esquerda e talvez por isto mesmo venha ocupar o lugar do Lula no cenário político brasileiro. O vácuo deixado pelo Lula, preso, favorece o crescimento da sua candidatura. 

Joaquim Barbosa será mais um "salvador da pátria" num oceano de candidatos medíocres?  No meu entender, não basta o credencial de ter origem pobre e ser contra corrupção, condição que maioria da população brasileira possui.  Digo com todas letras que o cargo de presidente da República requer muito mais que ser um candidato pobre e honesto.  Este filme já vimos, muito recente! 

Mostre a cara, Joaquim Barbosa!

Ossami Sakamori




2 comentários:

Alvaro Santos disse...

Caríssimo, Joaquim Barbosa teve um instrumento de poder INIMAGINÁVEL que era a CPMF, imposto esse que a sociedade foi doutrinada a odiar, mas que era ele quem dava MATERIALIDADE a movimentações destes ladrões.

Hoje, se Moro tivesse a CPMF teríamos que fechar Brasília e encarcerar, metade da população brasileira, por sonegação de impostos. Se a CPMF não houvesse sido espertamente ANIQUILADA, o Petrolão não teria nos consumido 2 trilhões.

Quanto a presidência, já testamos INEXPERIENTES E POPULISTAS...
Essa coisa que de honesto na política é como saci de duas pernas...

CARLOS_JBB disse...

Após o final do Regime Militar, o Brasil vem acumulando uma lista de salvadores da Pátria e o resultado é o momento atual que vivemos, recheado de incertezas. Precisamos conhecer a fundo todos os presidenciaveis e penso que pelo pouco tempo que temos é impossível conhecermos quem realmente é Joaquim Barbosa!