Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quinta-feira, 2 de março de 2017

O bobo da corte somos nós!

Crédito da imagem: Estadão

Para o Marcelo Odebrecht, ex-presidente do grupo empresarial que leva o seu sobrenome, em depoimento prestado para Herman Benjamin, relator do processo que o PSDB move contra chapa Dilma/ Temer, pelo abuso do poder econômico, disse ter sido o "bobo da corte" do esquema de maior ladroagem dos cofres públicos.  Até a Operação Lava Jato, Marcelo Odebrecht se achava "rei da cocada preta". Pelo visto, o isolamento da Colônia Médico Penal de Pinhais, região metropolitana de Curitiba, o fez mudar de conceito.

Segundo a grande imprensa, o valor acertado para campanha eleitoral da chapa Dilma/ Temer de 2014, foi de R$ 150 milhões, sendo 80% em forma de Caixa 2. Do total, segundo Marcelo Odebrecht era contrapartida da MP do Refis que beneficiou a empresa Braskem, controlada pelo grupo Odebrecht.  Segundo o ex-presidente do grupo Odebrecht, a então presidente da República Dilma Rousseff, em viagem internacional, fora advertida de que parte do dinheiro seria paga com os "recursos ilícitos" escondidos em paraísos fiscais. No depoimento, o Marcelo Odebrecht confirmou que parte dos recursos da campanha presidencial da chapa Dilma/ Temer, foi transferido para as contas da Mônica Santana, sócia e companheira do marqueteiro João Santana. 

Toda trama já tinha sido levantada pela Lava Jato no decorrer de várias fases, uma delas a Operação Xepa que teve como alvos o marqueteiro João Santa e sua companheira Mônica Santana. Única dúvida que pairava, até ontem, era se o Marcelo Odebrecht se "manteria em silêncio" ou se "confirmaria" toda trama, já de conhecimento dos leitores.  Marcelo Odebrecht confirmou tudo que foi dito antes. 

Quero fazer reparo no depoimento do Marcelo Odebrecht sobre o "destinatário" do termo "bobo da corte". Creio que o "bobo da corte" não é, certamente, o herdeiro de uma das maiores fortunas do País, o mega empresário Emílio Odebrecht.  O "bobo da corte" somos nós, o povo, que assistimos a tudo isto como se o episódio tivesse ocorrendo em algum outro país, menos no Brasil.  A família Odebrecht está "menos ricos", mas continua dando as "cartas" no País. 

O "bobo da corte" somos nós!

Ossami Sakamori




11 comentários:

  1. Senhor Sakamori é possível mesmo "descolar" Michel Temer de Dilma? Ou somente Dilma recebeu recursos ilegais e merece ser punida? Ou ainda, Michel Temer não sabia de onde vinham os recursos de sua campanha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acreditar na inocência do Temer é como acreditar que um casal vai jogar baralho num motel. Entendeu?

      Excluir
    2. Concordo com o Senhor!

      Excluir
  2. Não temos futuro, mesmo.
    Por essas e outras somos o maior mico das galáxias.
    Não há gente séria no comando da política, nem comprometimento com o povo. Mudam as coleiras mas os cães são os de sempre. Que pena!

    ResponderExcluir
  3. O presidente Temer não apitava nada como vice presidente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nessa época lhe era conveniente não apitar nada...

      Excluir
  4. Central sindical denuncia secretário da Previdência por conflito de interesses
    ImprimirEnviar48512
    23 de fevereiro de 2017, 14h23
    A central sindical de servidores públicos Pública protocolou nesta quinta-feira (23/2) uma denúncia contra o secretário da Previdência Social, Marcelo Caetano, na Comissão de Ética Pública da Presidência da República. Caetano é membro do conselho de administração da BrasilPrev, uma empresa de previdência privada, o que, para a entidade, o põe em situação de conflito de interesse. O pedido é para que a Comissão de Ética apure violações.

    “Como pode o idealizador de uma reforma previdenciária, cujo escopo é diminuir o suposto déficit existente no sistema com o corte de benefícios e aumento de contribuições, integrar a administração de empresa de previdência privada que poderá ser diretamente beneficiada com as modificações trazidas?”, diz a denúncia.

    O principal problema apontado pelos servidores é o fato de Caetano ser “o principal gestor” da reforma da Previdência, enviada ao Congresso por meio da Proposta de Emenda à Constituição 287/2016. “Enquanto secretário de Previdência, Marcelo Abi-Ramia Caetano possui ampla influência para moldar as políticas governamentais sobre o tema, tendo, inclusive, sido responsável por boa parte da elaboração da atual PEC 287/2016, benéfica para as empresas de previdência privada.”

    De acordo com a central sindical, Caetano viola o artigo 5º, incisos II, IV, V, VII. A lei define o conflito de interesses para quem ocupa cargos na administração pública federal. Os incisos dizem que exercer atividade em empresa que tenha interesse no órgão em que trabalha, atuar como procurador de empresa com interesse nesse órgão, praticar ato em benefício de empresas privadas e prestar serviços a empresas com interesses comerciais configuram conflito de interesses.

    Já o artigo 10 do Código de Conduta da Alta Administração Federal diz que a autoridade pública deve sempre esclarecer casos em que possa haver conflito de interesses e comunicar à administração sobre qualquer impedimento que possa ter no exercício do cargo. Para a Pública, “o exercício simultâneo pelo Denunciado das atribuições de Secretário de Previdência e Conselheiro da BrasilPrev pode certamente levantar dúvidas sobre a isenção das decisões da autoridade pública, em especial sobre a primazia do interesse público sobre interesses particulares da companhia”.

    A BrasilPrev é uma das maiores empresas de previdência privada do país. É controlada pela BB Seguros, braço de seguros do Banco do Brasil, e pelo PFG do Brasil, subsidiário do fundo de investimentos Principal Financial Group.

    O capital da BrasilPrev é dividido entre essas duas empresas: 75% é da BB Seguros, e 25%, do PFG do Brasil. Do capital ordinário, com direito a voto e participação dos resultados, 50,01% ficam com a BB Seguros, e 49,01%, com o PFG. Do capital preferencial, que tem prioridade na distribuição de dividendos, 100% ficam com a BB Seguros.

    Fonte:http://www.conjur.com.br/2017-fev-23/sindicato-denuncia-secretario-previdencia-conflito-interesse


    ASSIM QUE OS BOBOS DA CORTE PAGARÃO A CONTA - ACABAM COM A PREVIDÊNCIA OFICIAL OBRIGANDO OS OTÁRIOS A COMPRAREM APOSENTADORIA PRIVADA

    ResponderExcluir
  5. Nós seremos os "bobos da corte" até chutarmos o "pau da barraca". Falta pouco para o povo chutar. Dizem que o povo brasileiro é manso mas, dizem também que "boi sonso é que arromba a cerca".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ¨Les enfants de la Patrie¨...

      Excluir
  6. Belo título para ser colocado na bandeira do único país do mundo que usa letreiros para apresentar-se.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.