Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Brasil, país mequetrefe!

Crédito da imagem : Blog do Crato

Eita, País mequetrefe!  Brasil é um país de dar vergonha para o próprio povo.  Estamos a uma semana da abertura da Copa 214, no estádio Itaquerão em São Paulo e nenhum entusiasmo dos paulistanos ou dos brasileiros sobre o maior evento esportivo na modalidade futebol.  Pelo contrário o clima está "pesado".  O povo está mais preocupado com o seu futuro do que o jogo de abertura Brasil x Croácia.

Antes que me mandem para Japão, coisa que acontece quando escrevo algo negativamente ao Brasil.  Sou filho de imigrantes japoneses, sim.  Sou filho de imigrantes que deram sangue para o País, que deram suas parcelas de contribuição para que o Brasil pudesse chegar onde chegamos.  Sou testemunha e participante da classe laboriosa dos imigrantes japoneses e de todas origens do mundo, sejam africanos, europeus ou asiáticos.  Que seria do Brasil se não fosse a miscigenação de cultura de todo mundo.  Incluído cultura indígena e dos escravos africanos. 

Não foi o partido do Lula que resgatou o Brasil, como ele costuma dizer.  Eu digo, nunca dantes na história do País, um operário vagabundo que "encostou" por ter perdido um dedo em acidente de trabalho, pode falar pela classe operosa de trabalhadores.  Lula, "cachaceiro" foi pelego da classe empresarial, em pleno regime militar.  Eu já era empresário, quando Lula inflava greves nas fábricas de automóveis em São Bernardo.  Só que vai longe querer Lula dizer que é o exemplo da classe trabalhadora.  

Lula, classe trabalhadora eram os colhedores de café no interior de São Paulo.  Não sabe o Lula, quanto os "abanadores" de grãos de cafés sofriam com insalubridade. Eu sei, não fui "abanador" de café, mas vi minha mãe, abanar os grãos de café, de antes de raiar o sol até aparecer a primeira estrela do anoitecer.  E eram pessimamente remunerados pelos barões do café.  Sim, os barões do café que mandam neste País até hoje.

Pois, o partido do Lula e da Dilma está no poder há quase 12 anos.  Dizer que o Brasil mudou de feição é discurso padrão de todos presidentes da República.  Sim.  O Brasil mudou no regime militar, antes do regime militar, no governo Sarney, no governo Collor, no governo Itamar, no governo FHC e certamente nos governos Lula e Dilma.  Claro que o Brasil mudou de feição ou de cara.  Como poderia ser diferente, se o Brasil tem minérios, tem terras férteis, tem extensão territorial, tem a miscigenação da cultura e sobretudo porque tem a classe laboriosa de trabalhadores.

Dizer que Lula é representante da classe trabalhadora é como dar a tapa na cara dos "cortadores de cana" e de outros serviços mais expostos a insalubridade.  Lula, conhece bem o gabinete do sindicato, não o trabalho.  A presidente Dilma é conhecida como "perseguida" pela ditadura.  Nada há mais do que isto no curriculum da Dilma.  Ela é contrário da origem humilde do Lula.  Dilma é filha de um rico imigrante búlgaro, segundo consta da sua vida pregressa.  

Nada contra a classe dos metalúrgicos e nem tão pouco classe de milionários, pelo contrário, todas classes econômicas e sociais que contribuem com o País.  Não há como separar o capital do trabalho.  A aliança é que traz progresso para o País.  

Lula e Dilma que é própria aliança entre o trabalho e capital, querem dividir o País em "nós" e "vocês".  Que são "nós" e quem são "vocês" ?  Uai, desde quando o Brasil está dividido em estratos sociais ou econômicos?  Não seria função do mais alto mandatário do País unir ao invés de dividir?  Dilma e Lula querem desunir o povo, novamente, querendo separar entre "nós" e "vocês" ? Desde quando o Brasil é dividido?

Voltando ao assunto do Itaquerão.  Cinco estados e o Distrito Federal aceitaram a participação das Forças Armadas durante a Copa 2014.  Nunca vi, em lugar nenhum do mundo, num evento esportivo a atuação das Forças Armadas na função de policiamento contra povo.  Nem mesmo no regime comunista da China, no último evento das Olimpíadas, vi a presença das Forças Armadas na rua.  A imagem de TV vai correr no mundo.  Isto é retrato do Brasil de hoje.  As Forças Armadas, ex-algozes, convocada pela Dilma, para atuar contra as manifestações populares.  Este filme já vi, antes!



Infelizmente, com a realização da Copa 2014, a imagem do País vai ser arranhada, novamente.  O Brasil, vai de novo, ser tema de chacota da imprensa internacional. O Brasil vai assistir a chegada e saída da presidente da República, garantido pelas Forças Armadas.  Isto é que se passa a impressão ao mundo.  Brasil, terra de mequetrefe!  Onde chegamos, amigos leitores!  

Ossami Sakamori



2 comentários:

  1. E o decreto bolivariano que ela assinou, sem oconhecimento do parlamento. Saiu na veja, com ele o Brasil pode ser governado pelo MST e o PT perpetuar no poder.

    ResponderExcluir
  2. O Brasil é um país dividido. Miscigenação de culturas é multiculturalismo, que é, por conseguinte, divisão em raças estanques. Não quis isso para Brasil, mas é isso que uma certa classe média, intelectuais e partidos, como PT promovem. O Brasil é dividido desde a vinda da família real portuguesa ao Brasil. E estamos seguindo uma política social podre há séculos.

    Nossa divisão é hierarquizada, na cultura dos doutores, dos bacharelados e apadrinhados de toda a espécie. O nacionalismo que sempre pregou por um povo unido, mas calado, sempre foi uma piada. Mas, hoje, poucos riem desta piada infame.

    A Constituição de 1998, uma das pouquíssimas vitórias que conseguimos em um pouco mais de duas décadas, tentou unificar o Brasil, mas não conseguiu. A divisão não é só social, racial, política, está no coração, na alma - também é assim nos EUA, África do Sul, Europa, Israel e outros países da América Latina.

    Quanto à Copa, nada de novo. Na Eco 92, eu vi tanques de guerra parados em frente à favela da Rocinha, para intimidar o povo. Na Copa, haverá outro toque de recolher. É o povo unido na Copa, com baionetas apontadas sobre o peito. Mais do mesmo.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.