Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Temer se acha o rei da cocada preta!

Crédito da imagem: Estadão

A cada dia que passa, a permanência do Michel Temer frente à presidência fica insustentável. No último dia 30 de maio, escrevi uma carta para presidente Temer sugerindo que ele renunciasse ao cargo máximo da República. Michel Temer ao que parece ser, é uma pessoa com soberba, característica nata de quase todos que ocuparam o mesmo cargo no Palácio do Planalto. 

No "popular", diz-se que a pessoa foi picada por "mosca azul", se referindo ao "sangue azul" dos reis que governavam muitos povos, com a "soberba" característica dos governantes da "idade média". O presidente Michel Temer se comporta como tal fosse, um verdadeiro "rei". Melhor dizendo, no "popular", o rei da "cocada preta". 

Presidente Temer não tem, "nem", o privilégio de dizer que foi eleito por 54 milhões de eleitores, tal como se defendia a sua antecessora Dilma Rousseff, na véspera da sua cassação de mandato. Sim. O Michel Temer foi eleito ao cargo de vice na chapa da Dilma, com o número 13 do PT. Nem sequer foi eleito como o número do seu partido, 15 do PMDB. Michel Temer foi eleito para substituto "eventual" na vacância do cargo de presidente. 

Michel Temer é um "vice-rei" que não deu certo. Atrás do episódio do "grampo" feito pelo amigo e empresário estelionatário do ramo de carne, estão vindo à tona várias denúncias de "condutas nada ilibadas" para quem ocupa o cargo de substituto natural para o cargo de "rei ou rainha" da "cocada preta". As denúncias vão desde a utilização de aeronaves dos amigos investigados pela "ladroagem" dos cofres públicos. A denúncia mais recente, comprovada pela Polícia Federal, foi a reforma da casa da sua filha com o dinheiro de "propina", "achacado" do seu amigo e estelionatário do ramo de carnes. 

Com tanto "benesse", "mordomia" e "dinheiro duvidoso", o presidente Temer não quer "entregar o osso", como dizem no ditado popular. Com a estrutura de apoio que a Constituição lhe garante, o presidente Temer faz sua defesa utilizando-se do púlpito do Palácio do Planalto. Libera o "dinheiro público", o nosso, como se favor pessoal fosse. Seu gesto teatral lembra os bonecos de marionete, as duas mãos para esquerda e para direita e assim vai "enganando" o povo brasileiro como se "bobos da corte" fossem.

Michel Temer se autodenomina o "salvador da pátria" tal qual os antecessores Lula da Silva e Dilma Rousseff fizeram, utilizando-se da estrutura e do dinheiro nosso, o do contribuinte.  Não dei procuração para Temer falar em meu nome, porque não votei no 13. Nem o povo brasileiro, não votou na pessoa do Temer. O povo votou sim, na chapa da presidente cassada Dilma. Nem esses que votaram indiretamente no Temer, não o querem mais no cargo que ocupa. 

Michel Temer, em querendo, poderá abdicar-se do cargo que ocupa, sem ser eleito diretamente para tal, para abrir caminho da sucessão conforme prevê a Carta Magna da República, sem traumas. Sugiro que ele o faça quanto antes possível, porque o povo não aguenta ter mais um "espertalhão" à frente do cargo máximo da República por muito tempo. 

Temer se acha o rei da "cocada preta"!

Ossami Sakamori
@SakaSakamori

2 comentários:

  1. Bom dia, prof. Sakamori,

    Infelizmente não temos sangue puro, sendo uma mistura de povos que aqui chegaram para procurar uma nova terra e se misturar aos portugueses (primeiros colonizadores), negros (que, inicialmente, vieram como escravos) e os verdadeiros donos da Pindorama, os índios. Nos primeiros anos de vida, o Brasil já conheceu o que é ter governantes corruptos que se garantiam no poder, ditribuindo benesses (Capitanias Hereditárias), aos amigos do imperador português que fez o ¨favor¨de mandar bandidos condenados em Portugal para iniciar nova vida aqui. A moda pegou e miscigenação ocorreu e chegamos onde chegamos. Ao que parece, nunca tivemos identidade e a prova aí está. Aceitamos passivamente tudo e os políticos fazem de sua atuação uma profissão de explorar o erário público, delapidando-o em benefício pessoal. Nunca tivemos guerra de verdade, problemas climáticos extremos e sim uma cultura podre de levar vantagem em tudo. Aqui os poderes constitucionais são usados por poderosos para fazer o povo de burro e uma legião de famintos, como em Cuba, Venezuela, etc.etc. - Democracia de fachada. Só com conversa e passeatas não mudaremos nada. Infelizmente a saída não será indolor.

    ResponderExcluir
  2. Essa cocada vai azedar Sr Sakamori. A notícia àbaixo é interesante e esperançosa: "Trump vai reforçar o embargo contra Cuba e adotar restrições a viagens de americanos para a ilha. Também será proibido negócios entre empresas norte-americanas e cubanas que sejam controladas pelas Forças Armadas do país.

    Donald Trump classificou o governo de Raúl Castro de “natureza brutal” e afirmou que "em breve alcançaremos uma Cuba livre”. Trump disse que o país sofre há décadas por causa do governo Castro. E ressaltou que isso não pode se repetir na Venezuela, “É importante que haja liberdade em Cuba e na Venezuela”.

    O presidente norte-americano afirmou que será negociado um acordo melhor com a ilha, desde que ocorram avanços democráticos ‘concretos’ com eleições livre e a liberação de prisioneiros políticos. " http://www.diariodopoder.com.br/noticia.php?i=81950793526

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.