Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Brasil está à deriva!


O Brasil vive em permanente crise política/ econômica por egoísmo e soberba dos homens e mulheres que ocupam e ocuparam os poderes da República. Não só presidente da República, mas os homens públicos escondidos como fantasmas nos escaninhos dos três poderes, sobretudo no Planalto Central. O povo é o maior prejudicado pela inércia imposta por sucessivas crises políticas, decorrentes de crimes comuns de ladroagem dos cofres públicos pelos agentes públicos. 

Nos dois últimos dias da semana, a que passou, o presidente da República Michel Temer deslocou-se para cidade de São Paulo, utilizando-se do avião presidencial para tentar garantir a sua permanência na presidência da República.  Na sexta-feira, foi para tentar manter o PSDB na base aliada do governo no Congresso Nacional. No sábado, foi para uma reunião privada com o advogado e amigo Antonio Mariz, para tratar, suponho, sobre a defesa do processo que foi aberto contra ele no STF, pelo suposto crime comum, nada compatível com o cargo de presidente da República.

Amanhã, dia 6 de junho, deverá dar início ao julgamento da cassação da chapa Dilma/ Temer, pelo TSE. Sabe-se que o desdobramento do julgamento é imprevisível. O ministro Torquato da Justiça, segundo a grande imprensa, foi destacado pelo presidente Michel Temer, para tentar "melar" o julgamento ou na pior das hipóteses postergar a decisão para o dia do "são nunca".

O governo Temer está sem apoio para continuar com a votação da Reforma Previdenciária, que necessita de maioria absoluta dos parlamentares por se tratar de Emenda Constitucional. Será necessário 308 votos na Câmara dos Deputados e 54 votos no Senado Federal. A grande imprensa já levantou que o presidente Temer só dispõe de, no máximo, 280 votos dos deputados. O número de votos foram levantado antes do efeito "Rocha Loures" e a ameaça da saída do PSDB da base de sustentação do governo Temer. A situação vai piorar ainda mais, com a proximidade das eleições do ano que vem. 

Diante da situação, as agências de classificação de riscos, estão com a caneta na mão para rebaixar as notas. O rebaixamento das notas de classificação de riscos, vai influir diretamente na condução da política monetária. A primeira consequência é que a taxa básica de juros Selic vai tomar trajetória de rebaixamento mais cautelosa. A segunda consequência é que os investidores diretos produtivos vão postergar as suas decisões sobre investimentos até que tenha previsão de horizonte político mais cristalino. 

Quem paga o pato é o povo brasileiro que vai ter de esperar desanuviar o horizonte político para ver a queda de índice de desemprego, que tanto sacrifício tem trazido nesses últimos dois anos e meio. E assim permanecerá, até que o presidente Temer defina o seu futuro político por vontade própria ou através de processo penoso  de decisão por vias institucionais.

País está como navio sem capitão ou com capitão com série enfermidade, incapaz de tomar decisões. 

Brasil está à deriva!

Ossami Sakamori




4 comentários:

  1. Pura verdade, Sr Sakamori. Imaginemos a seguinte situação: Em uma aeronave em pleno voo o piloto passa mal e a aeronave passa a ser pilotada pelo co-piloto, que também passa mal. O correto seria o mecânico de voo, que tem informações suficientes, assumir o comando; ligar o PA(piloto automático); ligar para a torre de controle mais próxima e relatar a situação. Porém, imaginemos que em vez disso, a equipe da aeronave não se entende, começa a discutir e então resolvem tentar reanimar o piloto e o co-piloto. Dessa forma a aeronave começa a se desestabilizar pois não está no PA, e começa a cair. Se nada for feito todos morrerão. Assim está o Brasil. Estão reanimando o moribundo Temer e o Brasil enquanto isso está desabando. Se continuar assim voltaremos para o fundo do poço de mil metros onde tínhamos subido 05 cm(O governo diz que o PIB subiu).

    ResponderExcluir
  2. Milhares de pessoas estão buscando outro país (sério) para viver, pois aqui já é a Venezuela extendida.

    ResponderExcluir
  3. A Dilma caiu porque inventou de "pedalar por Brasília". O cidadão da foto acima fou pego "conversando com bandido" dentro de uma residência oficial, planejando o cometimento de crimes, inclusive contra o Poder Judiciário, e continua na maior "cara de pau" como se nada tivesse acontecido?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho a impressão (ou a certeza) de que tudo isso é um grande circo onde, além de expectadores, somos todos palhaços. Esses abutres não larga a carniça.

      Excluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.