Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 22 de abril de 2017

Há luz de vela no final do túnel.



Atendendo o pedido da leitora deste blog, a Hortência, vou discorrer sobre o meu prognóstico da economia brasileira para os próximos três meses. Após quase 30 meses de sucessivos indicadores negativos, ao que parece, a economia está a bater no fundo do poço nos próximos trimestres. Porém, vamos com muita cautela para não tomar o prognóstico ao pé da letra. Explico o porque, na sequência. 

Ironicamente, o primeiro  indicador positivo vem do lado da inflação. A inflação dos últimos 12 meses aponta para número abaixo de 4%. Digo ironicamente porque a queda de inflação é provocada pela imposição de taxa de juros reais Selic, a mais alta dentre 40 maiores economias do mundo. Banco Central do Brasil utiliza a receita ortodoxa dos organismos internacionais de fomento como o FMI, ao pé da letra. Os juros reais altos atendem aos interesses dos agiotas nacionais e internacionais, e isto só serve para facilitar a "rolagem" da dívida pública do governo federal. 

Os juros reais altos interessam aos agiotas nacionais e internacionais, mas aumenta o "endividamento público", que no futuro breve, estaremos pagando o preço do "equívoco da política econômica". Os juros reais altos, também, inibem os investimentos nos setores produtivos da economia. O resultado é o número de desempregados e desalentados que ascendem a 25 milhões de trabalhadores brasileiros. Isto é o preço, imediato, que pagamos para estabilizar a inflação nos patamares civilizados. 

Nas próximas reuniões do Copom, o Banco Central deverá votar pela redução de juros nominais dos atuais 12,25% para patamar de 10% ao ano nas próximas duas reuniões. Se a inflação estabilizar em torno de 3% ao ano nos próximos meses, o Banco Central deverá reduzir os juros para patamar de um dígito (menos de 10% ao ano). Ainda assim, a taxa de juros reais do Banco Central do Brasil continuará sendo a mais alta taxa do mundo. Isto é muito preocupante!

Pode ser e creio que vai ser, o indicador de referência para investidores institucionais do setor produtivo, não mais seja a taxa de juros reais Selic, mas poderá ser o índice de inflação, uma das menores dos últimos anos. Vamos lembrar que o Plano Real de 1994 foi instituído para o País ter moeda estável. Perseguir inflação próximo da estabilidade, é colocar a moeda "real" na verdadeira trajetória projetado como verdadeiro objetivo.

Apesar de reformas estruturantes serem feito a "meia sola", as da previdência e trabalhistas, ainda assim, corrige a trajetória do crescimento dos gastos públicos e facilita a abertura de novas vagas de emprego. Isto pode venha a ser um ponto positivo para a volta de investimentos produtivos no País. Tem um ditado que diz que "gato rescaldado tem medo de água fria". Vamos dizer que os investidores institucionais estão com "dois pés" atrás. A volta de confiança, certamente, não acontecerá de uma hora para outra, após pior "depressão" dos últimos 100 anos. 

Hortência, podemos dizer que após a aprovação das reformas da previdência e trabalhistas, previsto para acontecer até o fim deste semestre, o País deverá retomar, timidamente, aos investimentos nos setores produtivos. Vamos lembrar, também, Hortência, de que o mercado consumidor está com 60 milhões de inadimplentes dentre população economicamente ativa de 105 milhões de trabalhadores será o principal óbice para aceleração do crescimento. 

Somados a tudo isto, Hortência, o governo Temer não tem nenhuma credibilidade, sobretudo porque abriga na sua equipe ministerial, nada menos que 8 ministros envolvidos na Operação Lava Jato, direta ou indiretamente. O povo aprendeu a repudiar os governos corruptos, felizmente. 

Podemos dizer, então, que há uma luz tênue no final do túnel, a luz das velas. Que Deus dê esperança ao povo brasileiro, tão sofrido pelos sucessivos "desgovernos", incluído o atual. 

Ossami Sakamori




6 comentários:

  1. Deus nos ajude e proteja.
    Os brasileiros jovens estão indo, em massa, para fora do país por não acreditarem mais nas manobras desse e dos governos anteriores.
    É uma pena.

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente essa luz no fim do túnel é uma vela de cabeceira de defunto. O Brasil está morrendo.

    ResponderExcluir
  3. Seu Saka Cê é o cara !!!!!

    Imagino que existam outros Seus sakas país afora. O problema é que ninguém dá ouvido pros ceis. Digo ninguém com poder de decisão...

    ResponderExcluir
  4. Es necesario endurecer contra Cachaceiros apedeutas corruptos, pero perder la ternura jamás.

    ResponderExcluir
  5. No lugar de 12,25%, os juros selica atual são 11,25%.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.