Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 12 de novembro de 2016

Eles tem o Trump e nós temos os trampas!


Na última terça-feira, dia 8, elegeu-se presidente dos Estados Unidos da América, o empresário bilionário Donald Trump. O Trump elegeu-se com propostas polêmicas como construir muro na fronteira com o México ou deportação de 11 milhões de imigrantes considerados transitórios ou ilegais entre tantas outras propostas polêmicas.

Nessa semana, o assunto Trump tomou conta dos noticiários das grandes redes de televisão brasileira. A imprensa brasileira pôs-se a criticar a postura do candidato Donald Trump, até com certa razão. No entanto, eleito presidente, o empresário e agora presidente, Donald Trump tem demonstrado postura equilibrada, com declarações que o mundo espera de um presidente da República da maior economia do mundo. 

Os Estados Unidos é a democracia mais longeva do mundo contemporâneo, mais do que qualquer país do velho mundo. Os Estados Unidos tem o "establishment" que não deixa o seu presidente sair da linha. Não há o que temer do Donald Trump. Ele não vai chutar o pau da barraca, até por instinto de preservação, pois ele é empresário US$ bilionário com maior parte dos negócios imobiliários, dentro do país. 

Há uma certa ciumeira da imprensa e do próprio povo brasileiro em relação à própria democracia americana ao criticar o sistema que vigora há quase dois séculos.  Nossa democracia, pós ditadura, tem apenas 37 anos. O nosso presidente, o Michel Temer está no posto, pós impeachment da titular, há apenas 5 meses. Os Estados Unidos cresce desde 2009, após experimentar a pior crise financeira de véspera e o Brasil se encontra na pior crise econômica em 100 anos!

Pergunto: Somos exemplo de democracia para os Estados Unidos? Somos exemplo de economia para o mundo? Temos governo e parlamento responsáveis, como deles? Não! Nem é preciso enumerar as nossas mazelas para confirmar que somos considerados "titica de galinha" pelos países desenvolvidos, infelizmente. 

Não seria mais proveitoso para sociedade brasileira e à própria grande imprensa colocar em pauta de discussão o nosso próprio sistema de democracia? Por que não colocamos em pauta de discussão o modelo de economia que coloque o Brasil na trilha do desenvolvimento econômico sustentável? Não! Não fazemos isto. Preferimos perder o nosso precioso tempo criticando o sistema do governo e a economia dos detentores do 1/4 do PIB do mundo. O País e seu povo sofrem do síndrome do cachorro magro.

Já sei! Eles tem o Trump e nós temos os trampas!

Ossami Sakamori


5 comentários:

  1. Éramos, fomos, somos e seremos uma republiqueta de categoria Z e somos comparados à Venezuela e países de última significância. Não temos políticos comprometidos que não seja entre seus pares. O Brasil nunca teve (ou terá) identidade. Lástima.

    ResponderExcluir
  2. Ossami Sakamori, sinceramente, não há como não elogiar o artigo em tela. Eu acrescento e permito que me corrija se estiver errado. Muitos pelo Brasil afora insistem afirmar que Donald Trump optou por uma campanha modelo populista. Eu não posso concordar, haja vista que ao meu ver as propostas foram duras e polêmicas. Óbvio para a oposição "socialista".

    ResponderExcluir
  3. Estou precisando arranjar um trampo. Será que se conversar com o Trump ele me arranja um trampo?

    Foi horrível, mas o tico e o teco só conseguiram produzir isso

    ResponderExcluir
  4. Donald Trump não é socialista de esquerda que, dos impostos arrecadados doa dinheiro para amigos e migalhas para o povo; quem quiser dinheiro que trabalhe. Trump, também, é transparente e rápido. Já construiu um site de transição do governo Obama para o dele. O site incompleto mas já está no ar. Eis o link: http://www.greatagain.gov/

    ResponderExcluir
  5. Resposta bem curtinha:
    Porque tanto nossa IMPRENSA, seja ela televisiva ou não, quanto nossos POLÍTICOS sobrevivem do CAOS. Nossa democracia é uma ZORRA TOTAL...

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.