Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Brasília urgente!


Em duas operações distintas, foram presos nesses últimos dois dias, os ex-governadores  do Anthony Garotinho, PR/RJ e Sérgio Cabral, PMDB/RJ. Os dois foram transferidos para o Complexo Penal Bangu 8, na cidade de Rio de Janeiro, ontem. Anthony Garotinho responde a um processo do TRE do Estado do Rio de Janeiro sobre compra de votos. Já o Sérgio Cabral responde a processos na Justiça Federal do Estado de Rio de Janeiro e do Estado do Paraná. Desde ontem, ambos receberam uniforme de habitantes do Complexo Penal, como qualquer outro preso, com nível superior. 


Para os ex-governadores que se achavam "acima da lei" e praticaram crimes de "compra de votos" e de "corrupção", mas levavam "vida de rei", devem-se achar injustiçados, como qualquer criminoso narcotraficante. Nada a comentar sobre a situação jurídica de cada um, mas o fato é que ambos cometeram crimes previstos na legislação brasileira, ao olho visto. Há controvérsia sobre o uso do recurso da "prisão preventiva", mas creio que os magistrados devem estar sabendo o que fazer. 

Felizmente, os bandidos arrombadores de cofres públicos estão indo para a cadeia aos olhos da população brasileira. As iniciativas, não mais está na jurisdição da Justiça Federal de Curitiba, mas está partindo de juízes federais de Brasília e de Rio de Janeiro, além de Curitiba. Volto a repetir, não entro no mérito das filigranas jurídicas, pois não sou operador de leis, mas as inciativas tem servido para "inibir" a continuidade da ladroagem aos cofres públicos, com certeza.

Ainda está por vir, a delação colaborativa do grupo Odebrecht, que lista mais de 150 nomes de políticos, com ou sem mandato, que receberam o dinheiro das "propinas" sob forma de "doações oficiais" ou sob forma de "caixa 2". Segundo a grande imprensa, a lista do grupo Odebrecht deverá ser conhecido ainda antes do final do ano.  

Ainda segundo a imprensa, a lista do grupo Odebecht contém o nome do próprio presidente Michel Temer, além dos ministros e ex-ministros de Estados, senadores e ex-senadores da República, membros e ex-membros da Câmara dos Deputados, governadores e ex-governadores. No entanto, os nomes mais aguardados são dos ex-presidentes Lula da Silva e da Dilma Rousseff. 

A lista do grupo Odebrecht virá como um "tsunami" no meio político. A lista será como "pá de cal" do enterro dos políticos que praticaram os ilícitos como os ex-governadores Anthony Garotinho e Sérgio Cabral. Há um "nervosismo" explícito no meio político. Muitos deles estão sentindo o efeito de bebida russa, efeito conhecido como "efeito Orloff". 

Ossami Sakamori

6 comentários:

  1. A corrupção está demais e o povo já ameaça se revoltar. Mas, e o Lula? Esse será difícil ser preso, ainda mais depois do Presidente Michel Temer se pronunciar contra a prisão dele, no Programa roda viva, pois isso desestabilizaria seu governo por causa da militância petista. Pois é, um Presidente da República que é professor de direito constitucional dizer em público que um meliante não pode ser preso porque teme uma guerrinha nas ruas no mínimo é um fracote ou teme uma delação premiada do Lula em seu desfavor.

    ResponderExcluir
  2. Depois de tanto procurar, finalmente Cabral encontrou o "pau" Brasil. É que o Tião Bengala não dá descanso. E tem mais, disse que quer anel de 800 mil para selar o romance...

    ResponderExcluir
  3. Poderiam legalizar o PTV (Partido de Todos os Vigaristas).
    Haja vaga para adesões...

    ResponderExcluir
  4. Só guerra civil para mudar o Brasil.
    Os quadrilheiros tomaram conta do poder e nada vai mudar assim.

    ResponderExcluir
  5. Para virarmos uma Venezuela só falta falarmos espanhol.

    ResponderExcluir
  6. Camputa de filhodabada

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.