Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Vida longa para Michel Temer!


Após meses de indefinição, enfim, temos o presidente da República, com mandato definido até 31 de dezembro de 2018. O resultado decorreu do impeachment da Dilma pelo Senado Federal conforme manda a Carta Magna da República. Apesar do Senado Federal ter rasgado a Constituição da República ao manter o direito político do presidente cassado, através de um acordão, não invalida a condição do Michel Temer ser o presidente da República com pleno direito que lhe assegura o cargo.

O Brasil acordou hoje sem os chefões da facção criminosa no poder que tomou conta do País por 13 longos anos. Com a desculpa da inclusão social, a facção criminosa praticou a maior ladroagem dos cofres públicos, nunca dantes vistos na história. O Lula da Silva e a Dilma destruíram a economia do País, praticou política econômica irresponsável que fez o Brasil mergulhar em grave crise econômica, a pior desde 1929. 


O País está em profunda recessão desde o início de 2015. A inflação está nas alturas e o número de desempregados (oficial) está próximo de 12 milhões. O governo federal não consegue arrecadar o suficiente para pagar os gastos públicos. As receitas correntes não são suficientes para pagar todas despesas do governo, necessitando de emissão de títulos públicos (dívida pública) para cobrir o rombo que ascende a R$ 170 bilhões em 2016.

O presidente Temer é fraco, politicamente. Temer não possui carisma para comandar nação em grave crise econômica. No entanto, o País como que de inciativa própria irá procurar o seu próprio caminho, sob pena de sucumbir à exemplo de muitos países literalmente quebrados como a Grécia e Venezuela. Assim como aconteceu no governo do fraco Itamar Franco, o País encontrou a saída do Plano Real, sem alternativa política, o País vai apostar num governo próspero para o bem do conjunto da população.

O presidente Michel Temer viajou à China para participar da reunião de cúpula do G20, grupo de 20 maiores economias do mundo. Michel Temer viajou com semblante de esperança, de conseguir a confiança dos países investidores, para tentar colocar o País no rumo do desenvolvimento sustentável. Ficou claro também na primeira reunião com os ministros, na condição de presidente efetivo, a delegação de poderes para seus auxiliares diretos na efetiva condução do País. Isto já é uma diferença fundamental entre o Temer e Dilma. Dilma foi presidente centralizador e arrogante. Temer é o oposto da Dilma. 

Sucesso do Temer é sucesso do Brasil! 
Vida longa para o Michel Temer!

Ossami Sakamori

9 comentários:

  1. Vamos esperar para que a China não compre o Brasil agonizante.
    Não mataram direito a jararaca (ou filha) e deixaram (Rena, o oportunista) a porta aberta para o retorno dos malditos de plantão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renan é um dissimulado e oportunista do qual o Brasil deveria se envergonhar. Político simbolo do país de faz de conta, onde os aconchavos são a marca registrada de sua identidade. Nunca se preocupou com o país e sim consigo mesmo.

      Excluir
  2. Eu escrevi e torno a repetir: Saímos da panela quente e caímos na fogueira. O PT nunca prestou porque eles seguem à risca uma ideologia arcaica. A mesma que defendiam em 64. Essa ideologia defende a distribuição de migalhas para o povão e todo o poder e riqueza para o governo e seus aliados.
    Já o PMDB é mercenário(presta serviço para quem paga mais). Defendeu o PT como aliado no governo Lula e Dilma e depois beneficiou-se das trapalhadas da Dilma(trapalhadas que o PMDB defendia) e agora com a consciência pesada e olhando para o futuro(livrar-se da Lava Jato) rasga a Constituição Federal e deixa Dilma elegível. Abriu-se uma brecha para os políticos enrolados na lava Jato se beneficiarem, também: Nesse time estão o próprio Renan Calheiros e Eduardo Cunha. Michel Temer se mostrou surpreso e reclamou. Das duas uma; ou Temer está blefando ou ele foi traído pelo Renan Calheiros. Dessa forma passou-se para o povo uma impressão que Michel Temer não comanda nada e terá a vida duríssima pela frente. Tenho dó dele, e olha que não o defendo.

    ResponderExcluir
  3. Tem toda a razao Dr. Sakamori, tambem tenho grande esperanca que possamos superar, com Michel Temer os erros do governo que se foi e tambem tenhamos ao empenho dele em cortar os gastos que excederam os limites possiveis durante 13 anos, sem nenhum controle. Certamente que tambem apoio o seu governo que e legitimo, sempre com o olhar num futuro melhor para nossos filhos e netos, longe do perigo do comunismo, mas para isso e preciso haver uma reforma seria, acabando com essas dezenas de partidos que so aumentam as chances de corrupcao. Vamos nos concentrar agora em afastar Dilma da vida publica por oito anos e na Prisao de Lula. Nos temos o direito de descansar dessa criatura que nos atormentou por tantos anos. Vamos exigirr que o STF cumpra a Constituicao e nao permita que essa votacao em separado nos passe a perna, dando vantagens a uma criminosa triplamente culpada.

    ResponderExcluir
  4. Que o poste tinha que cair não há a menor dúvida. Agora aguentem a troletada que virá. Reservem seus estoques de vaselina para não doer.
    Em 2018 não aparecerá nenhuma pessoa que apoiou o Temer. Será igual perna de cobra: Ninguém consegue ver.
    Alguém conhece um eleitor do Lula? Do meu relacionamento sumiram todos. Igual a cabeça de bacalhau

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ainda tem gente que acredita que vivemos num país sério.

      Excluir
  5. Será que na viagem a China o Renan conseguirá colocar a Dilma como vice do Temer?

    ResponderExcluir
  6. Ô Seu Saka

    Dá uma força com sua influência junto aos parlamentares, para agilizar o PLP 268.
    Já mandei e-mail para trocentos solicitando esse mister.
    PLP 268 para ontem

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.