Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

O legado da Olimpíada custou ao País R$ 16,41 bilhões.


Não posso negar que foi bonito o evento Olimpíada 2016 que encerrou ontem, dia 21. Brasil conquistou 19 medalhas, sendo 7 de ouro. As melhores imagens são protegidos pelos direitos autorais, não podendo reproduzi-las aqui, apesar de governo brasileiro ter "enfiado" muito dinheiro no evento. 

Quadro geral das medalhas de ouro, os 14 primeiros classificados. 

Ordem classificação - país - número de medalhas - população

01.  Estados Unidos: 46 medalhas de ouro.     321 milhões 
02.  Russia:                27 medalhas de ouro.     146 milhões 
03. China:                  26 medalhas de ouro.  1.372 milhões
04. Reino Unido:       19 medalhas de ouro.       64 milhões
05. Alemanha:          17 medalhas de ouro.       81 milhões
06. Japão:                 12 medalhas de ouro.      126 milhões
07. França:              10 medalhas de ouro.         67 milhões
08. Coreia do Sul:     9 medalhas de ouro.         51 milhões
09. Itália:                  8 medalhas de ouro.           60 milhões
10. Austrália:           8 medalhas de ouro.           24 milhões
11. Holanda:            8 medalhas de ouro.            16 milhões
12. Hungria:            8 medalhas de ouro.            10 milhões
13. Brasil:                7 medalhas de ouro.          205 milhões
14. Espanha:           7 medalhas de ouro.             46 milhões

Dos países listados, apenas os Estados Unidos e a China tem população maior que a do Brasil. 

O custo da Olimpíada 2016.

Segundo Instituto Ethos o custo total corrigido da Olimpíada 2016 é de R$ 38,26 bilhões, distribuído da seguinte forma:

Recursos públicos (legado)                  R$ 13,99 bilhões
Matriz de responsabilidade pública     R$  2,42  bilhões
Total                                                      R$ 16,41 bilhões


Recursos privados (legado)                 R$ 10,92 bilhões
Matriz de responsabilidade privada    R$   4,23 bilhões
Total                                                     R$  15,15 bilhões

Recursos do Comitê  Rio 2016              R$ 7,00 bilhões


Comentário:

O Brasil vendeu boa imagem ao mundo, com a mobilização de 41 mil homens na segurança do evento, lotados nas pelas Forças Armadas, na Força Nacional de Segurança, na Polícia Militar e Civil do Estado do Rio de Janeiro, Polícia Federal e Serviços de inteligência do Gabinete de Segurança Institucional.  A mobilização das forças de segurança demonstrou que, quando o poder público investe nele, o resultado aparece a olhos vistos. 

A primeira vista, o espetáculo pirotécnico causou uma boa imagem do Brasil ao mundo, mas o evento é como "carnaval", dentro de pouco tempo o assunto cai no esquecimento, até pela expectativa da próxima Olimpíada que será realizada em Tóquio, em 2020. O legado político não sobrou, nem para a Dilma e nem ao Temer. Foi uma pena que o presidente Temer, não pudesse estar no encerramento do evento para fazer companhia ao primeiro ministro japonês, o terceiro homem mais poderoso do mundo. As possíveis vaias foi o motivo do não comparecimento do presidente da República no evento do encerramento. 

A Olimpíada será como a Copa 2014, após êxtase sobra para a população vultosa contas para pagar. Segundo Instituto Ethos, a conta para o contribuinte ficou em R$ 16,41 bilhões, corrigido ao dinheiro de hoje. Não custa lembrar que o País pagou os gastos da Olimpíada 2016, emitindo títulos da dívida pública federal, que será paga por nossos netos por anos a fio. Enquanto isto, gente morrendo nos corredores dos hospitais. Isto é o Brasil !

O legado da Olimpíada custou ao País R$ 16,41 bilhões!

Ossami Sakamori
@BrasilLivre


10 comentários:

  1. No país do carnaval o povo gosta de circo, talvez mais do que pão.
    Continuamos a ser mico internacional.
    Aqui é eterno carnaval. Nada aqui é sério.

    ResponderExcluir
  2. Tudo muito lindo, abertura, jogos, e encerramento. Ficou visível, no encerramento, que o objetivo foi mostrar ao mundo o RJ e seu carnaval e alguma coisa da cultura nordestina. E o resto? São 200 milhões de pessoas, a maioria passando necessidade. Enfim, ostentar que o Brasil tem "capacidade" para eventos internacionais. Doce ilusão. Esses bilhões vão pesar no nosso bolso. Muito bom o seu texto.

    ResponderExcluir
  3. Sem falar no valor do arrego do tráfico...

    ResponderExcluir
  4. Vcs sao muito pessimistas. Os resultados turísticos serão sentidos nos próximos 20 anos.
    Ademais a visão que o Brasil é uma selva com jacarés começou a se dissipar, e isso ajuda na internacionalização de investimentos externos.

    ResponderExcluir
  5. Vcs sao muito pessimistas. Os resultados turísticos serão sentidos nos próximos 20 anos.
    Ademais a visão que o Brasil é uma selva com jacarés começou a se dissipar, e isso ajuda na internacionalização de investimentos externos.

    ResponderExcluir
  6. Verdadeiramente somos uma democracia de mentirinha.
    Pão e circo era a arma que Roma usava para dominar o povo.
    Circo e dívidas é o que se utiliza o governo para dominar o brasileiro.

    ResponderExcluir
  7. Os políticos também competem em suas olimpíadas, nas modalidades de: pular cerca(trair a esposa);passar a mão(no dinheiro e nas "moças"); mentir(nessa modalidade a disputa pela medalha de ouro é acirrada);.....e tem o salto com vara(alguns políticos querem asilo em outro País pulando Curitiba).

    ResponderExcluir
  8. Joinville(SC), 19 de agosto de 2016.

    À
    PREVI/GABIN
    Rio de Janeiro – RJ

    Prezados Senhores,
    PEDIDO DE RENÚNCIA – Refletindo sobre a grave advertência recebida da PREVI, através da correspondência confidencial PREVI/DELIB 2016/0061, DE 22.07.2016, cheguei à conclusão que é inviável a minha permanência como membro do Conselho Consultivo do Plano 1, agora na condição de titular, face à saída do Angelo Raphael CELANI Pereira.
    Continuo com a convicção de que o meu cargo de presidente da ANAPLAB e de mantenedor do blog WWW.arizanella.blogspot.com.br não agridem os dispositivos disciplinares de nosso fundo de pensão. Muito pelo contrário, sou mero portador de críticas e procuro fazer contribuições positivas para a melhoria do atendimento aos assistidos e defesa dos direitos dos participantes.
    Entretanto, como esta não é a visão de membros do Conselho Deliberativo, nem da auditoria interna, não me resta outro caminho senão renunciar a meu mandato, para poupar a PREVI de desgastantes inquéritos administrativos contra minha pessoa, numa conjuntura difícil, onde a prioridade maior devia ser a de reduzir o déficit e buscar o equilíbrio atuarial.
    Lamento tomar esta decisão e frustrar os que me elegeram em votação histórica, mas não posso mais conviver num ambiente onde me sinta cerceado e amordaçado, não podendo exercer com amplitude o meu mandato.

    Respeitosamente,

    Ari Zanella

    Fonte:http://arizanella.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está aí o exemplo de governança encontrado pela CPI dos fundos de pensão das estatais.

      6 tão é de sacanagem

      Excluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.