Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 14 de julho de 2018

Me tira o tubo!

Crédito da imagem: Youtube

Deu no Estadão de ontem de que o Paulo Guedes, coordenador do programa econômico do candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL-RJ), indicou em entrevista à Reuters que pode manter alguns integrantes da equipe do governo Temer. “O setor público tem extraordinários quadros e quem tem que fazer as reformas e ajudar a corrigir todos os erros são exatamente esses quadros de excepcional qualidade”.

É notório também o desejo também do candidato à Presidência da República Ciro Gomes de engajar o empresário e banqueiro Benjamin Steinbruch (PP/RJ), um dos principais acionistas da CSN - Companhia Siderúrgica Nacional, ao cargo de vice-presidente. O movimento do empresário, no entanto, ao que parece, não conta com o apoio da própria bancada do PP no Congresso Nacional.  Se confirmado, seria um casamento da esquerda com a direita, dentro do cenário político.

Por outro lado, o principal candidato do centro, o Geraldo Alckmin (PSDB/SP), cujo formulador da política econômica é o economista e banqueiro Pérsio Arida, também um dos formuladores do Plano Real, pretende manter o atual presidente do Banco Central Ilan Goldfajn na condução da política monetária caso venha se eleger.  Alckmin pelo menos mantém coerência com o pensamento do partido político que pertence. 

Os fatos narrados, me lembra bem o programa de TV do humorista Jô Soares, nos idos tempos.  O personagem, doente, saindo da coma profunda, ao encontrar a mesma situação de antes, ele diz: "Me tira o tubo!". 

Ossami Sakamori
Engenheiro civil, foi professor da UFPR, consultor empresarial.

3 comentários:

  1. Acho q.é uma estrategia p.nao sofrer rejeicao no planalto ..depois de eleito.Vai mandar todos pastar..AGUARDEMOS.NAO EXISTE OUTRO CANDIDATO MELHOR.

    ResponderExcluir
  2. Seu Saka,

    O Capitão América, Super Herói, na primeira peitada que levar do congresso de bandidos, chamará o Gal. Mourão para varrer a sujeira

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.