Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Brasil, país sem esperança!

Crédito da imagem: Estadão

O País está vivendo um verdadeiro clima de "fim de feira". Enquanto os países do primeiro mundo parecem estar saindo de forma sustentável, da recessão provocada pela crise financeira de 2008. E o Brasil anda na contra mão do mundo, infelizmente. O País passa por pior crise dos últimos 100 anos, com "fraturas expostas", nos três poderes da República, como nunca dantes vista. 

O governo Temer comemora a contratação de 35 mil empregados enquanto os indicadores do próprio IBGE indicam 13,5 milhões de desempregados e 26 milhões de trabalhadores em subempregos. O número de inadimplentes, mesmo após a liberação de cerca de R$ 42 bilhões do FGTS, não sai do patamar de 60 milhões. O número de inadimplentes corresponde a cerca de 40% da população adulta do País.

O governo Temer que faz crítica à administração Dilma, de ter deixado a "herança maldita", continua a produzir o "déficit primário" ou o "rombo fiscal" de R$ 159 bilhões, mesmo após a aprovação da Emenda Constitucional do "teto dos gastos públicos". O governo Temer propõe para o ano que vem o "rombo fiscal" de R$ 159 bilhões, o mesmo de 2017. O ajuste nos gastos do governo vem um mês após ter aprovada a LDO com o "rombo fiscal" de R$ 131 bilhões. Esta atrapalhada de números lembra bem os últimos anos do governo Dilma. 

A inflação corrente só está comportada, 3% ao ano, devido a perda do poder de compra da população, amplamente mostrada pelos indicadores do parágrafo anterior. Para cobertura dos "rombos fiscais" o governo emite títulos da dívida pública expandindo a base monetária. Isto significa que ao menor sinal de crescimento econômico do País, a inflação vai voltar com toda força. A inflação vai voltar porque, no momento, está comprimida por falta de demanda. A inflação está baixa não pelo fator estrutural, mas pelo fator casual, a "depressão".

Com a "depressão" fecham-se as portas dos pequenos comércios, das pequenas indústrias e dos setores de serviços. Com fechamento das empresas, a arrecadação do governo cai. Caindo a arrecadação aumenta o "rombo fiscal". É um "círculo vicioso" que parece nunca ter o fim. Para piorar, o governo federal vive com o dinheiro do aumento de endividamento. As reformas estruturantes para equilibrar as contas do governo estão sendo postergadas por falta de apoio. O governo Temer está envolto em "escândalos" que parece não acabar nunca. 

O Brasil está à beira do precipício. O País caminha celeremente para "default" ou "falência". O pior de tudo é que a própria população já está sentindo a "sensação de sem saída". Não há esperança de mudança da situação no curto prazo com a continuidade do governo Temer. 

Brasil é um país sem esperança, infelizmente!

Ossami Sakamori
@SakaSakamori


5 comentários:

  1. O povo descapitalizado, os bancos lucrando bilhões de reais e o Governo emprestando ainda mais dos bancos para nós(povo) pagarmos; e ainda querem o Parlamentarismo para a próxima eleição! Não me admiraria se o governo pretendesse a volta da Monarquia: REI MICHEL TEMER, a Rainha MARCELA e o Príncipe Michelzinho. Deus nos livre desse pesadelo!

    ResponderExcluir
  2. Interesses pessoais e anti-patrióticos de grupos (brasileiros e estrangeiros) descobriram um jeito de pôr o Brasil em condição de ser explorado legalmente (por leis que fazem ou modificam) e o povo não existe senão como escravo do sistema (ou Sistema?). O país nasceu com essa vocação. País sem Deus e sem governo.

    ResponderExcluir
  3. País sem esperança e sem futuro sendo programado para ser a Venezuela da vez...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estão pavimentando o caminho para a volta do Lularápio.

      Excluir
    2. Cleptocracia instalada e institucionalizada. Espera o que ?

      Excluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.