Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 8 de outubro de 2016

Brasília, a ilha da fantasia!


A grande imprensa noticia de que o presidente Temer vai oferecer jantar a 400 parlamentares no Palácio da Alvorada para base de apoio na Câmara dos Deputados, no esforço para aprovar a PEC 241 referente ao teto dos gastos públicos. Para alguns, o evento mostra a vontade do presidente Temer em ver aprovada a PEC, para ganhar a credibilidade junto aos investidores internacionais. Para este que escreve, o jantar é uma tremenda afronta ao contribuinte brasileiro, gastar enormidade de dinheiro público com os políticos, que teria obrigação de votar projetos importantes para o País, como dever funcional. Para que o jantar, nos tempos bicudos?

O que me chama atenção é que o evento organizado pela presidência da República custará aos cofres públicos, nada menos que R$ 150,00 por cada comensal. A despesa se´ra pago por mim e por vocês, justamente para aprovar a PEC que limita os "gastos públicos". Pior exemplo de gastos não poderia ser no esforço (sic) para aprovação do teto dos gastos.  Gastança para cortar gastos é uma contradição!

É uma contradição do País de bananões. Fazer o que! Lá vamos nós, contribuintes, pagar mais uma conta do governo, no auge do momento que o número de desempregado já ultrapassa 12 milhões e o País atravessa a pior depressão desde 1929. Será que estou vivendo num outro Brasil?

Lembro-me que há cerca de 30 anos, numa escala de viagem para Manaus, com a família, aos meus filhos adolescentes de que a cidade, a capital da República do Brasil era uma verdadeira "ilha de fantasia". Brasília após tanto tempo passado, continua a mesma, está dissociado do resto do País. Brasília cheira mal, tal qual esgoto de rua, mas os políticos vivem a vida de "fantasia" sem se importar com o que acontece ao seu redor. 

Os inquilinos do Palácio do Planalto e do Congresso Nacional, "em sua maioria", não estão "nem aí" com a dura vida cotidiana da população brasileira. E ainda perguntam, porque a população está descontente com a classe política. Há que mudar esta prática nefasta de "toma lá, dá cá", com o nosso dinheiro público. Eu não os autorizei gastar meu dinheiro para fazer "festança" para cada um ter que cumprir o "dever" de votar projetos que seria de obrigação de cada parlamentar. 

Brasília é uma verdadeira "ilha da fantasia". 

Ossami Sakamori



4 comentários:

  1. Paris, na época da rainha Maria Antonieta era igualzinho a nossa ilha da fantasia. Só teve um jeito de reverter a situação do povo francês, à época. A solução aqui não será diferente. Ninguém se iluda do contrário.

    ResponderExcluir
  2. Quem assistiu a entrevista no SBT do Michel Temer notou a arrogância dele. Michel age como dono do Brasil e falou como se já tem a fórmula de sucesso para o Brasil; mas na verdade Michel está modificando até a Constituição Federal para deixar o povo mais sacrificado. E ara isso ele não descansará até ter quórum suficiente nas duas casas legislativas. Reúne-se com Governadores obtendo apoio e faz jantares para ganhar apoio. Porém, tem-se notícia de que é preciso fazer uma auditoria profunda das dívidas brasileira pois, no caso da Previdência Social, nas contas preliminares somando as receitas e descontadas as despesas está SOBRANDO dinheiro. E para onde está indo está sobra? Por que o governo insiste em dizer que está faltando verbas e quer uma reforma na Previdência sacrificando ainda mais os trabalhadores? E por que essa reforma não começa pelas aposentadorias dos parlamentares e Magistrados? Michel Temer não é mais só articulador político e ganhador de votos nas Câmaras. Michel Temer agora é Presidente da República e para mudar alguma coisa tem que DEBATER com a sociedade em geral e não só ganhar os votos necessários para aprovação dos seus projetos usando a lábia e o jeitinho.

    ResponderExcluir
  3. Incrível ...

    ...Sakamori volta no tempo para nos mostrar o comentário que fez aos filhos numa escala em Brasília, chamando-a de Ilha da fantasia.

    O tema do comentário de hoje também me fez voltar no tempo e lembrar-me do tempo em que trabalhava numa grande multinacional automobilística que, em momentos de novos lançamentos, fazia as convenções aos distribuidores, com a participação do pessoal de vendas e marketing, que entraram para a história por serem grandiosas e dispendiosas.

    Entre os integrantes da nossa equipe, quando convidados para mais um jantar, fazíamos o seguinte comentário a um desavisado, que perguntava o motivo do jantar:

    - É o jantar de lançamento da campanha de contenção de despesas.

    ResponderExcluir
  4. Pelo número de comentários dá para notar que as pessoas desanimaram ou estão acreditando que realmente o Temer nos dará um futuro melhor. Eu espero sinceramente que sim, mas até o momento o que noto é um "quase" desespero em aprovar propostas que só penalizam o povo. Não quero ser contra todos e tudo mas essas propostas a toque de caixa para decidir o futuro de nossas vidas é arriscado demais pois se der errado somos nós quem sofreremos. Tem que haver uma debate com a sociedade e não só com nossos representantes em Brasília pois estes podem ser cooptados pelo governo. Eles, políticos, sempre estarão garantidos em seus ótimos salários e benesses. É por isso que temos que vigiar e cobrar. Se a proposta é para nos ajudar que seja bem-vinda mas se for para nos atrapalhar, que seja retirada da pauta de votação.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.