Follow by Email

terça-feira, 12 de novembro de 2013

BNDES x Eike Batista. Quero os nossos R$ 10,6 bilhões de volta!

Folha. A empresa naval OSX, do empresário Eike Batista, acaba de protocolar seu pedido de recuperação judicial no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.  A companhia segue o caminho da pretroleira OGX, sua principal cliente, que pediu proteção à Justiça no dia 30 de novembro para não pagar dívidas de R$ 11,2 bilhões. Com o cancelamento das encomendas de navios da OGX, a situação da OSX se deteriorou rapidamente. 

Comentário.  

Alega-se no pedido de recuperação judicial da OSX que a dívida com os bancos públicos é de R$ 1,6 bilhão.  No pedido de recuperação judicial a empresa OSX tem cara de pau de dizer que vai sobrar R$ 2 bilhões, após a venda de ativos e receber os créditos junto ao OGX do mesmo grupo.

Segundo nota oficial do BNDES emitido no auge da crise da OGX as 6 empresas holdings do grupo Eike Batista, OGX, OSX, LLX, MMX, MPX e a SIX deviam para o BNDES exatos R$ 10,6 bilhões.  Destas 6 empresas, até este momento, somente a empresa MPX foi vendido para grupo de investidores estrangeiros.  Supõe-se que uma pequena parcela do financiamento tenha passado para a responsabilidade dos novos donos.  Mas, e o resto?

A empresa OGX já foi para recuperação judicial caminhando a para falência, por falta de consistência dos ativos apresentados para justificar o pedido de recuperação judicial.   A OSX vai para o mesmo caminho.  Apesar de justificativas, no papel, isto vai terminar também em falência, na minha opinião.

Desta forma, restam as empresas LLX e SIX, que também estão em dificuldade, até pela repercussão da falência do restante do grupo.  A MPX, praticamente, são dos sócios estrangeiros.  O BNDES não declarou em sua nota, a dívida de R$ 10,6 bilhões por grupo de empresas, dificultando a pesquisa porque estão camuflados nos meandros da contabilidade.  Onde foi parar, ninguém, nos explicou ainda.  

O BNDES alegou que uma parte das dívidas tem carta de fiança dos bancos.   Mas que bancos?  Bando Votorantim que pertence ao Banco do Brasil?  As supostas cartas de fianças foram honrados na situação falimentar de cada empresa?  Creio que não.  Se foram honrados e pagos pelos emitentes de cartas de fianças que diga o BNDES.  

O BNDES alegou recentemente que o risco OGX é infinitésima parte dos riscos do Banco.  Quando o BNDES falou sobre o risco, dizia respeito a participação acionária do BNDESpar na empresa OGX.  Nada a ver com os empréstimos com recursos próprios ou repasses de algum Fundo, como Fundo da Marinha Mercante, no montante citado anteriormente, os R$ 10,6 bilhões.

O BNDES não esclareceu devidamente, mas a maior parte dos empréstimos de R$ 10,6 bilhões, foram garantidos com as próprias ações das companhias do grupo Eike Batista.  Diga-se de passagem que estas ações que garantiam os empréstimos, hoje, viraram micos.

Ah! Estava esquecendo de fazer referência ao aporte financeiro que a Petrobras deu à empresa OGX, após data da minha denúncia de 27/3/2013, no valor de R$ 900 milhões.  Gostaria muito de saber se este crédito consta do pedido de recuperação judicial da OGX ou simplesmente sumiu.  Este valor é mais um daqueles que somem no balanço da Petrobras sem menor explicação.  Quero os nossos R$ 900 milhões de volta, também!

Mesmo após minha matéria sobre situação de falência da OGX e das falcatruas do estelionatário Eike Batista em 27/3/2013, a presidente da ANP, Magda Chambriard, disse que o Brasil precisa de muitos Eikes Batistas, se referindo a suposta capacidade empresarial do estelionatário travestido de empresário Eike Batista.  A própria presidente Dilma, ainda neste ano, atendeu pessoalmente o estelionatário Eike Batista.  O presidente Lula, também, ainda neste ano, fez lobby forte para atrair investidor para o projeto LLX.  

De tudo isto, chego a conclusão que os presidentes Lula & Dilma, Magda Chambriard do ANP e Luciano Coutinho do BNDES ou são estelionatários tanto quanto o Eike Batista ou são incompetentes que não merecem os cargos que ocupam.   Vamos torcer que seja a segunda alternativa!  Vamos considerar que "eles não sabiam de nada".  Parece que este filme já vi, antes! 

Chegam a afirmar que sou chato.  Não, não sou não!  Estou defendendo os nossos suados R$ 10,6 bilhões!  Para se ter ideia da grandeza do número, no passado recente o presidente da Alemanha teve que renunciar ao cargo porque não conseguiu explicar devidamente a origem de US$ 1 milhão.  E eu que sou chato?  

Ossami Sakamori

3 comentários:

  1. Sakamori, veja só que comparação interessante:
    - Segundo a ONU, as Filipinas irão necessitar de US$ 301 milhões (~US$ 0,301 Bi) em ajuda humanitária em alimentação, saúde, saneamento, alojamento, retirada de escombros e proteção dos mais vulneráveis devido aos estragos causados pelo supertufão Haiyan.
    - BNDES x Eike Batista (só com ele) rombo de pelo menos, R$ 10,6 Bi (~US$ 4,6 Bi).

    Com o dinheiro jogado no lixo do grupo X daria para cobrir pelo menos 15 vezes o que aquelas ilhas necessitam.
    Ou seja, dá para ter uma boa dimensão do dinheiro que foi jogado fora aqui na banânia.
    Mas, o pior de tudo é que ninguém tem que dar qualquer explicação. Não acontece nada com ninguém. Ninguém vai preso. Vai ficar tudo por isso mesmo e daqui a pouco outros escândalos virão à tona mostrando mais dinheiro jogado no lixo.
    Infelizmente, nossos filhos e netos herdarão um Brazilhistão.

    ResponderExcluir
  2. O caso do Eike é um escândalo tão grande quanto o Mensalão. a diferença é que Eike contou com o apoio da mídia, de artistas, jornalistas e, claro, do governador Sergio Cabral, a falência das empresas do Eike implica em muitos interesses e todos os envolvidos querem sair pela tangente...

    Esses 10 bilhões do Eike foram para o ralo, quer dizer, para os bolsos sujos do proxeneta financeiro Eike Batista, não tem volta. Aqui, no Brasil, quem fala as coisas que devem ser ditas, são chamados de chato.

    ResponderExcluir
  3. sera que uma micro empresa pode abrir o capital e vender papel frouxo no mercado,acho que da certo.Se nao der vou vender terreno em martte.

    ResponderExcluir

O espaço para comentário é democrático.
Não há censura nem moderação.
Deletamos anúncios comerciais.